24 de out de 2011

E então, eu fui parar no Peru!

Estava tudo pronto para o embarque. No domingo de manhã terminei de arrumar a mala, papai saiu para deixar o carro em ordem, mamãe preparou coisas que gosto para o almoço e meu irmão testou o Skype para ensiná-los a usar.

Esperávamos sair de Limeira às 14:00, mas atrasamos um pouco e saímos por volta das 14:30. Meu irmão foi dirigindo o carro de papai, e a cunhada também estava presente.

Chegamos no Aeroporto Internacional de Guarulhos pouco antes das 17:00, conforme o esperado.

Com pouco movimento, o aeroporto estava calmo. Para o check in, nem fila havia nos guichês da LAN Airlines. Então fui logo providenciar o que tinha para ser feito.

A atendente pegou meu passaporte, a folha com os dados do voo (o e-ticket) e o endereço de onde eu ficaria nos EUA (passei o da minha host).

De repente, a atendente me disse que estava tendo um problema com o sistema e que o mesmo não estava retornando para ela que meus dados estavam OK. Aguardei um pouco, encontrei uma outra au pair, tentanos novemente e tudo certo.

Com as passagens em mãos, me despedi da família e fui para o dalão de embarque. Lá, as demais au pairs foram chegando aos poucos.

O voo era às 20:10, e às 19:30 já estávamos em pé, ansiosas, começando a fila para o embarque!

Viajamos de classe econômica. Não é a melhor acomodação do mundo, mas também não tenho do que reclamar. Aliás, sempre vejo pessoas reclamando sobre as refeições durante o voo. Tivemos, para o jantar, nhoque, um pãzinho, um pedaço de bolo e bebidas. Eu achei que foi o suficiente e até gostei da comida.

Foram 4 horas de voo super tranquilas. Ótimas condições climáticas, nenhuma turbulência, nenhum imprevisto. Foi minha primeira viagem de avião e eu amei! Tirando o barulho das turbinas, você nem sente a aeronave se movimentar. Parece que está parada, tudo calmo e teanquilo! rs

Chegamos no aeroporto em Lima faltando cerca de 30 minutos para a conexão até NY. Logo que encontramos o nosso portão de embarque, meu nome estava sendo anunciado.

Me dirigi ao balcão, falando Inglês enquanto eles me respondiam em Espanhol. A atendente não falava muito bem Inglês, mas me entendia.

O problemas foi que o mesmo erro de sistema ocorrido no Brasil voltou a acontecer em Lima. Meu visto está ok, a passagem estava comigo, ou seja, tudo p que dependia de mim estava correto. O problema estava no sistema, que não conseguia identificar a minha conexão.

Os atendentes fizeram todos os procedimentos que podiam. Umas 5 pessoas estavam ali tentando resolver tudo. Um deles falava melhor em Inglês e fez o intermédio entre me explicar o que aconteceu e retornar minhas perguntas à companhia.

As demais au pairs ficaram comigo ao lado do balcão até o último minuto, até irem buscá-las para entrar no avião. Foi muito importante tê-las do meu lado, me dando força. Por fim, elas partiram e eu tive mesmo que ficar.

A solução foi emitir um ticket para o próximo voo. O inconveniente era que este voo só aconteceria no dia seguinte, novamente às 23:55.

Fiquei desesperada! Onde eu iria dormir? E como eu iria comer? A moeda aqui é o Sólo, eu só tinha Dólares e as casas de câmbio dentro do aeroporto já estavam fechando (nessa altura da novela, já passava da 1:00). Estava morrendo de fome e cansada.

A companhia emitiu meu ticket para o novo voo e me disse que me acompdariam em um hotel, com as refeições pagas. Me deram 2 cartões telefônicos - me disseram que eu poderia usar quantos precisasse, afinal ainda precisava avisar a escola em NY, a Cultural Care no Brasil, e também meus pais - e ainda me pagaram uma pizza individual com Coca-Cola no aeroporto, antes de ir para o hotel.

Fizemos todo o procedimento de imigração - no Peru não precisa de visto, mas tem que passar pelos peruanos com cara de bravos iguais ais cônsul americanos do Consulado - e também todo o processo de liberação de bagagem. Preenchi inúmeros formulários, mas 2 funcionários me acompanharam durante todo o processo até o hotel.

Cheguei no hotel depois das 2:00. Emitiram tickets para eu almoçar e jantar - o café da manhã é gratuito - e me deram a chave. Um funcionário me acompanhou até o quarto, varregando monha bagagem. Perguntei por internet e ele foi buscar um cartão com usuário e senha. Pedi também uma Coa-Cola - estava morrendo de sede -, mas esta não está inclusa no "pacote", então ela me custou 3 dólares e será paga na minha saída.

Assim que entrei no quarto, liguei para a Au Pair Training School, em NY. Passei os dados do novo voo e fui informada de que uma pessoa estará me esperando no aeroporto quando eu desembarar.

Liguei para os meus pais, já era quase 5:30 no Brasil (2:30 aqui em Lima). Mais calma, expliquei aos meus pais o que havia acontecido e contei como estava. Eu fiquei bem depois que me acomodei.

Tomei um banho e me deitei. Demorei um pouco para dormir, pois estava ainda agitada. Porém, estava muito cansada e lá pelas 3:30 o sono apareceu.

Hoje acordei às 8:00, me arrumei e desci para o café. Me servi de suco de laranja, pães, presunto, queijo e manteiga.

Depois um garçom, que estava fazendo omeletes, se ofereceu para preparar algo. Pedi com bacon e queijo. Enquanto ele cozinhava, me perguntou de onde era. Quando disse Brasil, ele me perguntou como dizer "obrigado" em Português e contou que esteve em São Paulo há 5 anos.

No almoço, tive duas opções de pratos, por conta do tipo da minha hospedagem. Pedi a primeira opção, com arroz, carne vermelha e batatas. Me serviram a entrada, o prato principal e a sobremesa. Tudo muito saboroso. Não estranhei nada!

No jantar, novamente duas opções optei pela segunda, com massa. Me seviram, como no almoço, entrada, prato principal e sobremesa.

Durante o dia aproveitei para descansar no quarto. Assisti séries, un filme, e ainda dormi um pouco.

Quando o seviço de quarto foi arrumar a cama, me diverti mais uma vez conversando com os peruanos. Desta vez, o assunto foi o futebol.

Durante a minha estadia fui muito bem tratada. Todos aqui foram gentis e pacientes quando tive dúvidas sobre como usar o telefone, ou pagar o que quis consumir além dos tickets.

Não precisei comprar moeda, pois o hotel trabalha tanto com Sole quanto com Dólar.

Sinceramente, me surpreendi comigo mesma. Mantive a calma, consegui resolver os problemas e ainda consegui relaxar.

Adorei a experiência de conhecer pessoas de um outro país, de falar inglês e ouvir espanhol. Foi tudo muito proveitoso. Eu voltaria a Lima para visitar, com certeza! ;)

E agora, que venha a semana em NY! \o/
Quarto do hotel.
Aeroporto em Lima.

Um comentário:

  1. Que aventura, heim Aline? Ainda bem que a empresa foi bastante solícita e ofereceu toda assistência a você. Quando isso acontece, um momento de constrangimento e frustração acaba se tornando em diversão e curtição - o que aconteceu com você.

    Estou acompanhando de perto sua aventura e fico contente que esteja tudo bem. Boa sorte, amiga!

    ResponderExcluir