24 de abr de 2012

Sobre amizades e prazo de validade

Conheci os Brasileiros que embarcariam comigo por email. Uma ou duas semanas antes do embarque, a Cultural Care nos enviou a lista de quem embarcaria no mesmo dia. Conversamos todos os dias, milhares de emails trocados, sempre respondendo para todos, parecíamos amigos de infância que reencontrariam-se em uma nova fase. Estava empolgada, até.

No dia do embarque, conheci a maioria. Somente um garoto perdeu o voo, e uma garota não havia recebido ainda seu passaporte, então embarcou uma semana depois. No aeroporto, foi um misto de nervoso com ansiedade. Cada um com seu sentimento. Mas, sinseramente, não foi tão intenso quanto parecia ser.

Como tive problemas com a minha conexão e precisei passar uma noite em Lima, cheguei um dia atrasada na escola. Por conta disso, eu perdi aquele primeiro contato com as outras meninas no primeiro dia. Sendo assim, não fiz ali na escola de treinamento amigas para a vida toda, como muitas au pairs contam ter feito. Ao final da semana de treinamento, vim para a casa da minha host family sem o aperto no coração de estar me separando delas. Estranho? Talvez. Mas a vida segue...

Brasileiros! Quelita, Natalia, Eu, Daniela, e Matheus, na escola de treinamento.
Depois de já instalada na casa da host family, acabei conhecendo algumas brasileiras que minha host já conhecia, e também duas no primeiro Au Pair Meeting (uma delas daria lugar à Marion, e eu nem imaginava). Entretanto, não consegui, novamente, criar uma amizade forte. Uma delas, a Carla, vejo bastante quando o pequeno não tem aula, pois sempre fazemos play date juntas.

Com o tempo, começaram a aparecer as meninas de outros países. E aí, curiosamente, eu comecei o meu círculo de amizades, mesmo sabendo que estas também teriam, ou terão, fim um dia.

A primeira foi a Marie. Alemã, 20 e poucos anos. Fanática por carros e futebol, não poderia ser melhor companheira! Adora falar, contar, perguntar, conversar. A conheci na Starbucks dentro do Tysons Corner Center, o mall que costumo ir.

A Marie foi minha primeira amiga e também a minha primeira despedida. Ela me apresentou outras meninas (as da foto) em um Au Pair Meeting em que fomos ao Madame Tussauds em DC, assim como me apresentou DC. Era impossível dormir até tarde em um final de semana, sem ela me acordar para irmos andar. E eu adorava!

Marie (Alemanha), Thanh (Alemanha), Saerom Shim (Coréia do Sul), e Eu
(Foto de iPhone, e contra o sol. Desculpa!)
Depois veio a Marion. Logo no primeiro email que ela mandou para as meninas do nosso cluster, Marie e eu fomos as primeiras a responder. E foi uma sintonia muito legal, desde o início.

Marion é Francesa, tem 23 anos e gostos muito parecidos com os meus. Ela mal chegou e já extendeu com a host family, e eu me orgulho em dizer que ela é a amiga para toda hora. 

Ela também não me deixa dormir até tarde nos finais de semana! Sempre acordo com mensagem dela no celular, a não ser que tenhamos saído no sábado e ambas queiram dormir até tarde no domingo! A gente está sempre junto, seja para ficar em casa vendo filmes e comendo porcaria, seja para andar por DC, ou mesmo para planejar viagens (Chicago, here we go!)

Ela fez uma coisa muito bonita um dia, e talvez nem saiba que aquilo representou tanto para mim. Eu estava mal com o fim do meu namoro (pois é...) e numa quinta-feira perguntei a ela se ela iria fazer algo. Ela disse que tinha um compromisso, mas que tentaria ir me ver. Fui, então, para a Starbucks que costumamos frequentar, próxima a uma supermercado, e disse a ela que ficaria por lá. Pouco tempo depois, ela me mandou uma mensagem dizendo que estava indo para lá, para ficar comigo. Sim, ela curtiu o tempo dela com as outras amigas, mas reservou um tempinho para mim, porque não queria me deixar sozinha quando estava me sentindo mal. Se isso não é ser uma pessoa de coração bom, eu não sei o que é!

Marion e Eu, em NY.
Depois veio a Nicole. Alemã, 20 e poucos anos, com seu jeito particular de ser. Esta foi a nossa companheira de quarto em NY, mas infelizmente não saímos mais juntas. Não sei o que aconteceu. Simplesmente não rolou. A viagem foi ótima, ela é super divertida, mas depois nos separamos.

Marion, Eu, e Nicole, no Top of the Rock em NY.
E por último, mas não menos importante, apareceu a Virginia! Argentina, 26 anos, Produtora de TV. Está aqui há pouco mais de um mês, mas sua história com a host family já dá um livro! Vinda de uma país com tantos problemas quanto o meu, e com uma cultura bem parecida, é nela que eu me encontro quando bate a saudade de casa. Brinco com ela que eu posso abarçá-la sem medo, porque isso também é costume no país dela. E ela, por sua vez, chegou na gente sentindo a maior falta disso, de abraço, de contato, de beijar o rosto para cumprimentar. Interessante, não?

A Virginia é a menina mais séria do trio, pé no chão, com objetivos traçados. Por ter a minha idade, combinamos em muitos pensamentos, na forma de enxergar algumas situações. Ela também não nega uma fugidinha de casa, nem que seja só para ir tomar um café. Aliás, é viciada em café!

E sobre sua história com a host family, eu fico aqui na torcida para que tudo se ajeite. Ela é uma pessoa ótima e merece ter um ano incrível aqui! Desejo, de coração, que ela continue perto da gente e que as coisas só venham a melhorar!

Virginia, Eu, e Marion, em Washington DC.
Assim a vida vai tomando forma do lado de cá. Muitas pessoas passam pela nossa vida, mas poucas ficam. Como Au Pair, todas nossas amizades aqui acabam tendo um prazo de validade. Não porque as pessoas fazem isso, mas porque nosso tempo aqui é contado. A partir do momento que desembarcamos, a nossa ampulheta é virada e os grãos começam a cair, um a um, até que chega ao fim.

Eu sei que será muito difícil manter essas amizades à distância, ainda mais sabendo que eu vou embora antes da Marion e ela ainda vai continuar aqui conhecendo gente nova. E enquanto isso, minha vida tomará seu rumo no Brasil. Eu adoraria muito revê-las no futuro e, mais que isso, conhecer tanto a França quanto a Argentina. Quem sabe?

Inevitavelmente, toda amizade de Au Pair tem seu fim. Enquanto isso não acontece, a gente vai curtindo cada tempo de folga juntas, dividindo o máximo que podemos, compartilhando cada experiência e criando uma história. ;)

Girls, I'm proud of our friendship. I'm glad I met you! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário