26 de jul de 2012

9 meses e uma decisão

Eu nunca sei em que dia comemorar minha chegada aqui. No dia 25 de Outubro foi quando desembarquei em NY, mas no dia 28 de Outubro foi quando minha história como Au Pair realmente começou. Foi quando eu vi a minha host family pela primeira vez e, literalmente, corri para o abraço!

Este país deveria chamar-se "United States of Heaven".

Lembro que eu lia muitos blogs antes de me tornar Au Pair, e a maioria das meninas fazia um balanço mensal sobre o que mudou, o que aconteceu, etc. Eu nunca consigo fazer isso!

A vida aqui flui tão naturalmente, que eu não consigo enxergar o que realmente muda de um mês para outro. O que aconteceu ultimamente foi que acabei conhecendo muito mais Brasileiras na região em que moramos agora.

Por conta da saudade de casa, ter amigas Brasileiras, agora, está me fazendo muito bem! Confesso que sinto falta de falar Inglês nos finais de semana em que passo meu tempo somente com meninas da mesma nacionalidade que eu, mas por outro lado estas amizades vão me deixando mais confortável e segura para levar a vida do lado de cá. É sempre bom ter alguém que te entende pelo simples fato de ter vivido a mesma cultura que você. 

Olhando do alto, no que a minha vida se transformou depois de toda esta mudança, eu posso dizer que, aos poucos, eu moldei a minha vida do lado de cá. Arrumei meu quarto, construi uma relação com a minha host family, superei meu trauma de dirigir, fiz amigos, criei minha rotina, comprei o que queria, me permiti sentir-se em casa em um lugar o qual não é meu.

Com seis meses aqui me bateu o desespero e quis voltar no final do primeiro ano. Uma saudade sem tamanho da minha família me fez querer ir embora. Conversei com meus pais e eles me apoiaram, afinal eles sempre o fazem, independente da minha decisão. Estava tudo certo, na minha cabeça. Porém, ainda não havia conversado com a minha host.

O tempo passou, pensei melhor, algumas coisas na minha vida se ajeitaram, conheci mais gente, a contagem regressiva começou a roubar meus dias, e eu percebi que eu queria mais. Um ano só, não seria o suficiente.

Conversando com meus pais, mais uma vez, decidimos, juntos, que o melhor a se fazer é ficar por mais um ano. Já sou graduada e pós-graduada no Brasil, ou seja, não deixei pendências a serem resolvidas. Tenho praticamente duas profissões as quais crescem a cada dia (mesmo o professor não sendo tão valorizado quanto deveria), e isso faz eu me sentir segura daquilo que sou e do que faço. Eu não tenho medo de trabalho. Por que teria medo do mercado? Meu pai, meu maior exemplo de determinação, voltou a trabalhar depois de aposentado. Por que eu teria medo de (re)começar a trabalhar no Brasil aos 28 anos?

Ter vindo para os EUA foi quase como pausar a minha vida real para viver em um universo paralelo. Aqui tudo é diferente, aqui tudo corre como a gente menos espera. A vida do lado de cá passa rápido demais! E a vida do lado de cá não é permanente.

Tenho aprendido muito, tenho descoberto muito, tenho me apaixonado muito. Tudo aqui tem sido exatamente como eu imaginava. Minha vida aqui não me traz surpresas ruins. Até o problemas têm me servido como fortalecimento. Pode parecer clichê, mas é assim mesmo.

Enfim, não consigo encontrar motivos que me façam ir embora no primeiro ano. Todo mundo quer que eu fique. Minha host, as crianças, meus pais.. Até os avós perguntam frequentemente para a minha host se eu vou ficar!

Portanto, "se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico". Mais um ano! ;)

4 comentários:

  1. Ai que delícia Aline. É isso ai... enfrentou seus medos e desafios e decidiu por ficar mais 1 ano. Que delícia! E que bom que seus pais e a host te apoiam né... isso é fundamental, o resto vêm com o tempo.

    Felicidades sempre pra você!

    Beijos da Nega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! :D

      A vida aqui não é fácil, mas a gente se adapta! hehe

      Excluir
  2. Que leeeegal Aline!!! Fiquei muito feliz por vc. amo ler aqui, e te ver tão feliz me faz querer ainda mais ser au pair. Ai que sonho gostoso né? vc nem quer acordar. tudo de bom aí. Joara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Joara!
      Vida de au pair tem seus altos e baixos, mas quando essa é a vida que você escolheu para alcançar seu objetivo, você aprende a tirar proveito até das situações menos "legais"! hehe
      Boa sorte na sua jornada como au pair! =)

      Excluir