8 de set de 2012

No pain, no gain!

"Darkness cannot drive out darkness, only light can do that.
Hate cannot drive out hate, only love can do that."
(Dr. Martin Luther King Jr.)

Comecei este blog há algum tempo. No início era só um lugar para os meus devaneios, pois sempre gostei de escrever. Nunca busquei visualizações, seguidores, repercussão. Sou até tímida demais para lidar com exposição.


Quando me tornei Au Pair, voltei o blog totalmente a este universo, baseada em três propósitos: guardar todas as lembranças boas para mim; mostrar aos meus pais como anda a vida do lado de cá; e ajudar futuras Au Pairs, já que eu também li muitos blogs antes de ser mais uma.

Com o tempo percebi que muitas meninas acabam encontrando meu blog quando pesquisam sobre o programa de intercâmbio. Recebo algumas mensagens por Facebook, ainda que poucas, com dúvidas, e sempre tento esclarecer o máximo que posso. Dia desses uma menina me mandou uma mensagem dizendo que nunca me viu postar sobre problemas, ou dificuldades que já passei por aqui. Eu não sou de escrever posts negativos, apesar de já ter feito um bastante triste sobre solidão, mas o fato é que eu realmente não tenho problemas aqui que interfiram na minha vida, ou que devam ser expostos.

Deixei passar, mas outro dia me deparei com alguns comentários em um grupo de Au Pairs brasileiras no Facebook. Uma menina reclamava de ter que ajudar as crianças com a lição de casa, e ainda achava um absurdo as escolas aqui, mesmo as públicas, terem uma série de regras a serem seguidas no que refere ao lanche que você manda para a criança. Achei um pouco absurda a reclamação, mas acabei comentando que os alimentos enviados para o lanche das crianças são restritos pelo fato de muitas possuirem alergias, principalmente ao amendoim, e que crianças dividem seus lanches, então não há como você controlar que a sua criança vai comer, necessariamente, só o que você coloca na lancheira.

A discussão foi por água abaixo, ela se encheu de contradição, e quando argumentei que para ser Au Pair a gente precisa prezar pela saúde das crianças, pois temos aqui vidas sob nossa responsabilidade, ela tentou me ridicularizar, me chamando de "au pair de ouro", como se eu fosse a mais perfeita, a que sabe tudo e que nunca erra. Para acabar logo com qualquer dor de cabeça, eu saí do grupo, pois aquela não era a primeira reclamação sem nexo que eu via, e nem seria a última. Ler aquele grupo sempre me causava mal estar, simplesmente porque não me encaixo naquele perfil reclamão.

Isso me fez pensar sobre que imagem eu tenho passado a respeito do programa de Au Pair, e me deixou um pouco preocupada. Será que estou mostrando coisas boas demais e fazendo esta vida parecer um conto de fadas?

O fato é que sou uma pessoa positiva, nunca pessimista. Não entrarei em discussão religiosa, mas venho de uma doutrina onde nós agradecemos por aquilo que foi alcançado, através do nosso próprio merecimento, e enfrentamos os desafios como forma de evolução. Sendo assim, procuro sempre olhar meus problemas de forma analítica, para que consiga superá-los e ainda aprender algo com isso.

Outro fator muito importante neste universo chamado Au Pair, é aprender a tolerar. Muitas vezes eu não concordo com alguma atitude, ou mesmo algo chega a me irritar um pouco, mas aí paro e penso melhor. Isso é realmente um problema, que eu preciso expor e discutir, ou posso somente tolerar, pois não afeta a minha vida?

Dito tudo isso, posso deixar alguns exemplos do que acontece na minha vida aqui, que eu não vejo como problema, mas que eu tenho certeza que outras meninas não teria esta mesma visão.

Vamos lá...

  • Às vezes minha host coloca a roupa dela para lavar, antes de sair para trabalhar, mas esquece de me avisar. Quando vou lavar as roupas das crianças, preciso tirar a roupa dela da máquina e colocar na secadora, depois coloco tudo em um cesto vazio e deixo na porta do quarto dela. Na primeira vez que isso aconteceu, ainda dobrei toda a roupa dela e deixei sobre sua cama. Quando ela chegou, agradeceu e disse que eu não precisava fazer isso, que era só colocar em um cesto e ela dobrava quando chegasse.
  • Depois que as aulas começaram, a mais velha pegou mania de chegar em casa e plugar o iPod no iHome, que fica na cozinha, e ficar por ali fazendo lição de casa, ou somente jogando no iPad, enquanto ouve as músicas dela. Na primeira vez, confesso que me irritou, mas antes de dizer qualquer coisa, eu ponderei, afinal, ela é quem está na própria casa, não eu. Eu estou aqui só de passagem, portanto não cabe a mim ditar regras.
  • Quando eu janto sozinha com as crianças, eles sabem como se comportar. O pequeno sempre faz graça, mas dou três chances de ele parar e comer a comida. Se ele não me obedece até a terceira, ou todos já terminaram de comer, então o jantar está finalizado e ele tem que ir para a cama. Quando a minha host está no comando, o jantar é uma bagunça! Ela deixa ele fazendo graça até ele perder a fome, mesmo depois de todo mundo já ter terminado até a sobremesa e terem tirado os pratos. Ela não dá um basta, não põe uma regra, simplesmente deixa o caos acontecendo.
  • Minha host está sempre atrasada para os compromissos dela, e agora com a responsabilidade de levar as crianças para a escola, ela anda mais enrolada ainda. Eu cumpro a minha parte. Começo às 7:00 e às 7:25 os três já estão prontos para sair, conforme combinamos desde o primeiro dia de aula. Ela sempre desce por volta das 7:30, já atrasada, gritando e apressando eles. É claro que o pequeno faz graça e a irrita ainda mais! Mas a minha parte já está feita, portanto...
  • Ir ao mercado com as três crianças pode ser um pesadelo! Eles ficam alucinados, correm, falam todos ao mesmo tempo, pedem isso, pedem aquilo, reclamam que é chato, reclamam que é frio perto das geladeiras, irritam um ao outro, correm de novo, gritam, o pequeno chora, a mais velha bate nele, a do meio não presta atenção por onde anda.. Um caos! Já cheguei a sentar no chão, do lado do carrinho de compras, e esperar que eles se comportassem - e funcionou, porque ficaram morrendo de vergonha da cena que eu estava causando. Eu deveria ganhar medalha de honra ao mérito por conseguir cumprir tal tarefa, porque nem minha host consegue ir às compras com os próprios filhos! E para terminar, se a pessoa do caixa supôr que sou a mãe e se despedir com um "Have a good day, mom!" após eu efetuar o pagamento, os três voltam e ainda corrigem "Ela não é nossa mãe. É nossa au pair!". Nem morro de vergonha, imagina...
  • As crianças acordam cheias de energia todo dia, falando, pulando, gritando, brincando. Eu nunca fui uma "morning person", e sempre acordo quieta. Nunca de mau humor, mas sempre calada. Sou daquelas que gosta de tomar o café da manhã em paz, sem ter que responder perguntas, sem barulho ao redor. Para conseguir isso, eu preciso ser a primeira a acordar, pois assim que uma das crianças acorda, acaba-se toda a paz da casa, portanto todo dia subo às 6:30 para ter minha meia hora de paz durante meu café, e poder então começar a trabalhar de bom humor, preparada para a bagunça que está por vir assim que eles saírem da cama.

Mas o que eu quero dizer com tudo isso? Simples: a minha vida, aqui, também tem seus defeitos, e só me resta decidir o que fazer com eles. Ou eu passo os dias reclamando destas coisas pequenas e fazendo com que se transformem em problemas insuportáveis, ou posso levar tudo isso numa boa, como parte do cotidiano de uma família normal. Se ser Au Pair é fazer parte da família, então isso também significa saber lidar com as diferenças e atitudes daqueles que a compõem.

Caso me perguntem se minha vida aqui é perfeita, eu direi que sim e sem hesitar, pois ela o é de acordo com a visão que eu tenho sobre o que é viver como Au Pair. Eu nunca imaginei que eu chegaria aqui para viver de férias, nem que todo dia seria só sorrisos. Esta foi a vida que escolhi, e eu já sabia de todos os poréns que eu poderia esperar. 

Quando só posto coisas positivas, viagens e finais de semana divertidos, é na intenção de mostrar que esta experiência pode - e deve - ser a melhor de uma vida toda. Não quero criar a ilusão de que ser Au Pair é ter uma vida cem por cento linear e serena, porque é uma vida como qualquer outra, de trabalho, esforço e recompensa. O que pretendo, ao expôr minha experiência, é mostrar que só depende da própria Au Pair fazer com que sua vida seja o mais perfeita possível, dentro daquilo que você quer para si.

Sem sacrifícios, não há vitória, baby! ;)

14 comentários:

  1. Adorei.. o post..
    Confesso q ri imaginando vc no mercado com as crianças..hahaha
    As vezes a gente se deixa levar por poucas coisas e acaba se tornando uma experiência não muito boa..
    Eu ainda não sou Au Pair e não to dizendo q eu vou ter uma vida de conto de fadas ou uma vida infeliz, cabe a mim saber lidar com as diferenças e saber equilibrar as coisas. Afinal de contas não é a minha família, vou estar ali só de passagem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ir ao mercado é sempre uma aventura! hahaha
      Porém, depois que chego em casa, eles voltam ao normal e tudo fica bem! =P

      Excluir
  2. Faz parte, criança até os 10 anos + ou - é sempre agitada, eu sempre fui sussa mas tem criança que corre, grita e destrói tudo!
    Eu tava pensando em viver um ano fora, pra aprender inglês e tal e ter uma experiência internacional, estou pensando nisso!

    ResponderExcluir
  3. adoreii! :)
    concordo com vc!
    tenho uma pessoa perto de mim que so sabe reclamar e ver os pontos negativos..
    e claro que tem familias que exploram, mas nos precisamos saber lidar e ter atitude, saber sentar e conversar, expor nossas opinioes e entrar em um consenco! Acho que quem o problema e familia deve ir procurar outra e nao ficar reclamando...
    mas acho que tem gente que precisa ter mais atitude sem duvidas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho uma amiga que passou por uma família um tanto quanto complicada, mas ela foi super madura e forte! Chamou pra conversar várias vezes, e quando não restava mais dúvidas de que o problema era mesmo a família, ela pediu rematch. Hoje ela está numa família completamente diferente, onde ela também tem seus altos e baixos, mas totalmente dentro daquilo que podemos lidar. =)

      Excluir
    2. e para tudo precisamos ter coragem ne?
      mas concordo muito com tudo que vc disse :)

      Excluir
  4. Parabéns !
    De fato o que você falou tem todo sentindo, acompanho vários blogs a muito tempo e posso dizer de todo coração que esse post foi o primeiro que li inteeeeeeirinho ! hahaha :)
    Continue assim por que além de ter um ótimo ano como au pair vai ajudar tanto eu quanto várias meninas que ainda estão pra ir !
    Quanto ao grupo do facebook faço das suas palavras as minhas.

    beijos e toda sorte pra ti :)

    ResponderExcluir
  5. Oi Aline, tudo bem?
    Acompanho sempre seus posts e adoro!
    Queria te pedir uma ajuda, é sobre o vídeo de Au Pair. Quando você foi fazer o seu.. onde você pesquisou as músicas de fundo, eu gostei muito do seu.. queria colocar um parecido no meu, você saberia indicar algum site ou blog que tenha alguns exemplos pra baixar? No aguardo.. e boa sorte com as crianças!! rs Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu vídeo foi feito e editado com o iPod Touch. A app que usei para editar for o iMovie, e ele tem temas e músicas já pré-configurados. Portanto, não sei dizer o nome da música, ou onde encontrar. =)

      Excluir
  6. Ah, entendi.. vou continuar procurando então.. mt obrigada..
    Beijo, Thaís.

    ResponderExcluir
  7. Aline, não te conheco pessoalmente, mas só pelas suas palavras nos posts, eu te admiro! Admiro, dentre outras coisas, a sua maturidade ao lidar com as situações. Sem consciente de que foi voce que escolheu essa vida e so cabe a voce fazer dessa experiencia a melhor experiencia de sua vida.
    Confesso que já sai desses grupos do facebook também porque cada dia que olho certos posts me da um desanimo e as vezes ate raiva da pessoa que esta reclamando por uma coisa tao tola!
    Se nao gosta de choro de criança, nao vai ser au pair, oras!
    Enfim, suas palavras são inspiradoras! Parabéns! ah, e faça mais vídeoss!! faz tempo que voce nao faz um!
    beijos e sucesso!!

    ResponderExcluir
  8. Realmente, vc faz o dia de qualquer pessoa se tornar melhor!
    Estou embarcando daqui 20 dias, cheia de sonhos e desejos de um ano bom! Mas sempre ouço muitas reclamações de au pairs sem necessidade. Sempre leio os seus posts e acho ótimos, quero ser dessa forma, positiva, e fazer com que as coisas deem certo!
    Parabéns =)
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tá chegando? Que ótimo! E vai morar onde?
      Desde já, seja bem vinda à America!
      A vida aqui é de bastante trabalho, mas também é onde a gente constrói as nossas maiores lembranças.
      Aproveite muito a sua experiência! =)

      Excluir